O Cafeína Pop teve o prazer de entrevistar o artista Quimera (Victor Liborio), responsável por diversas artes dos singles de Gloria Groove, Aretuza, Lia Clark e muitos outros ícones da música. Seu trabalho mais recente é a capa do hino “Rajadão,” da Pabllo Vittar, que irá ganhar um single nas próximas semanas.

Além de explicar o conceito da capa de Rajadão, criada junto com ErmnaCost (fotografo responsável pelo ultimos trabalhos da Pabllo), Libório contou pra gente um pouco da suas inspirações e diversos outros trabalhos ao longo de sua carreira.

Leia a íntegra:

O que a arte de Rajadão representa? Existiu alguma inspiração pra criação dela?

Um símbolo pop. A capa fala com o clipe e fala com o trabalho de ambos os artistas responsáveis por ela, eu e @ernnacost. Eu sou muito fan do trabalho dele e quando ele me chamou para entrar na capa nós sabíamos exatamente o que criar, queríamos algo poderoso e sexy. Sinto que conseguimos.

Como surgiu a oportunidade de trabalhar com a Pabllo, Gloria, Aretuza e outros artistas que tem como capa alguns dos seus trabalhos?

Cada um foi uma história diferente. O principal nome dessa história é Felipe Sassi, diretor de inúmeros clipe da cultura pop brasileira atual. Quando o Fe me ligou, 2 anos atrás me chamando para fazer as cartas de tarot do clipe da Aretuza com a Iza, eu tava super desapontado com a minha vida profissional e acadêmica, foi uma revolução o chamado dele. Depois disso as coisas foram acontecendo, eu não parei de desenhar e oferecer meu trabalho. Os meninos da CyberKills, Quebrada Queer, Gabeu, Jup do Bairro, foram pessoas que acreditaram em mim e continuamente me deram oportunidades para mostrar o que eu sei fazer. Sou muito grato à todos eles. A minha dica é: Ofereça seu trabalho sem medo do não, acredite que as pessoas PRECISAM dele. 

Existe algum tipo de técnica específica para fazer uma capa de single ou álbum? 

Diálogo. Cada peça de capa é um momento, uma música e um artista diferente. A única maneira possível de eu mostrar quem eu sou mas também quem o outro é, é conversando sobre o processo, sobre o que cada um quer e principalmente: Ouvir a música

Quimera conta de onde vem a sua arte que tem diversos elementos orientais, principalmente japoneses e cita sua coleção pessoal de mangás:

Eu vou ser para sempre uma criança otakuhahaha. Eu cresci consumindo anime e mangá, tenho mais 200 mangas guardados em algum lugar na casa dos meus pais. Esse imaginário está dentro da minha bagagem cultural, eu diria que compõem as principais raízes dela. 

O que você considera marca registrada em sua arte, que você ama incorporar quando ta desenhando ou produzindo uma peça?  

Hoje, diversão. Eu passei por fases em querer dizer muito, criar algo sério e contemplativo, mas hoje o que eu mais procuro sentir ao criar algo é diversão. Eu quero rir com o que crio e ao mesmo tempo quero sentir a energia de subir em um palco e dançar até desmaiar.  Isso não significa que meus trabalhos não contém assuntos reais e ,muitas vezes, traumáticos, na realidade quase todas tem e são desses problemas  deles que eu quero rir. 

Você pode conferir a arte de “Rajadão” e todo o trabalho desse ícone abaixo:

Um comentário em “Entrevista: Quimera (Victor Liborio) responsável pela arte de “Rajadão” de Pabllo Vittar fala da sua trajetória e inspirações

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s